Carbono Reduzir nosso impacto sobre a mudança climática

Como uma empresa líder de varejo de moda que opera em mais de 20 países, entendemos o nosso papel na redução de nosso impacto sobre a mudança climática. A mudança climática pode ameaçar as comunidades nas quais trabalhamos e a nossa capacidade de acesso a matérias-primas, como algodão, no futuro, aumentando a possibilidade de eventos climáticos não previsíveis ou extremos. Para sermos mais efetivos, devemos focar nossos esforços nas áreas em que podemos fazer a maior parte das mudanças, com maior rapidez. Para identificar essas oportunidades, avaliamos rotineiramente nossos impactos por meio da Avaliação de Ciclo de Vida (ACV) em toda a cadeia de valor – desde produtores de algodão até o fim da vida útil.

newborn collection

 

Abordagem e metodologia

Trabalhando com os cientistas da Aligned Incentives, avaliamos nosso escopo 1, 2 e 3 de emissões de gases de efeito estufa (GEE) em nossa cadeia de valor, com base na análise do ano passado.

TO modelo segue o Protocolo GHG (gases de efeito estufa) do World Resource Institute/World Business Council for Sustainable Development referente à mensuração e apresentação de relatórios corporativos e cadeias de valor. Com relação à nossa estimativa de 2016, melhoramos nossa metodologia com a utilização de dados mais detalhados e melhoramos a modelagem de matérias-primas e etapas de processamento do ciclo de vida de nossas roupas. Esse modelo híbrido de ACV combina métodos de entrada-saída e de processos de ACV, o que nos permite focar nas principais áreas principais em nossa cadeia de valor em nível de material e de região.

Como reduzimos nosso impacto sobre as mudanças climáticas

A comparação com a avaliação do ano passado demonstra uma redução de 12%, principalmente por meio de melhorias na maneira como as roupas são fabricadas, e da busca de materiais mais sustentáveis. Essas melhorias combinadas com uma redução geral nos materiais utilizados resultaram na redução de aproximadamente 619.000 toneladas de CO2 em nossa cadeia de valor.

Melhorar a coleta de dados para que possamos melhorar

O nosso objetivo continua sendo melhorar constantemente nossas medições e relatos de dados de sustentabilidade para divulgar melhor a identificação e implementação de práticas mais sustentáveis. Como no ano passado, a nossa estimativa de 2016 utilizou dados de mais de 370.00 embarques de nossos países fornecedores para nossas lojas. Para 2016, conseguimos coletar informações mais detalhadas associadas às nossas compras de roupas e acessórios, melhorando, dessa forma, a precisão de nossa estimativa para o exercício. Além disso, avaliamos mais de 4.200 compras de não produtos exclusivos para avaliar os impactos na cadeia de valor de produtos e serviços relacionados às operações e administração de nossos negócios. Isso, combinado com dados de energia e combustível de cada uma de nossas lojas, centros de distribuição e escritórios, nos forneceu um conjunto abrangente de dados utilizados na análise. Dessa forma, conseguimos estabelecer uma linha de base firme com base na qual mediremos nossas reduções no futuro.

Com a utilização desses dados, conseguimos desenvolver uma estimativa mais precisa de nossa pegada de carbono e, consequentemente, reestabelecemos a nossa base para 5.874.586 toneladas de CO2 do berço ao túmulo (cradle to grave) de 2016. Essa base mais precisa será utilizada no futuro.

 

Total de emissões de GHG por Escopo

Comparação anual de emissões de GHC nas etapas de nosso ciclo de vida

O gráfico abaixo apresenta uma comparação entre 2015 e 2016, utilizando nossa antiga metodologia de 2015. Embora tenhamos melhorado a profundidade e a precisão da metodologia para 2016, ainda estávamos interessados em entender quais progressos tinham sido realizados em comparação com o ano anterior.

Agricultura de algodão - nosso principal objetivo

Aproximadamente 6% de nossas emissões de GHG são geradas pela agricultura e, portanto, a melhor forma de combater esse problema é adquirir algodão mais sustentável. Embora estejamos focados na criação de uma meta baseada na ciência com relação aos escopos do Protocolo GHG, a nossa evolução no algodão sustentável já está demonstrando uma contribuição considerável. Em 2016, mais da metade do algodão que compramos era mais sustentável, o que significa que esse algodão foi cultivado organicamente ou comprado por intermédio da Better Cotton Initiative. Estimamos que a nossa aquisição sustentável de algodão em 2016 evitou a emissão de 48.500 toneladas de CO2, uma redução de 12% de emissões de GHG em relação ao algodão convencional. Essa economia representa mais que o dobro de emissões do escopo 1; um bom exemplo de como as melhorias na rede de fornecimento diminuem rapidamente as reduções que podem ser obtidas nas operações diretas da C&A.

 

Aquisição de algodão mais sustentável pela C&A, em relação a algodão produzido de forma convencional

Emissões de GHG por tipo de material das roupas

Total de emissões de GHG de acordo com as etapas de nosso ciclo de vida

Produção

A produção têxtil é a maior fonte de emissões em nossa rede de fornecimento, representando 40% do total de emissões. Trabalhamos com diversos parceiros importantes para reduzir a emissão de carbono em nossa cadeia de valor. Somos membros da Partnership for Cleaner Textile (PaCT) desde que a iniciativa começou em 2013. O foco da PaCT é a despoluição do setor de processos molhados em Bangladesh, o que inclui aumentar a eficiência energética dos fornecedores. Em 2016, a parceria economizou 1,8 milhão de MWh de energia por ano, evitando 275.000 toneladas de CO2 por ano. Compramos mais volume de produto de Bangladesh do que de outros países (28% em 2016), portanto, os nossos esforços estão resultando em reduções consideráveis em nossas emissões absolutas do escopo 3.

Operações de varejo

As nossas operações de varejo, excluindo roupas e transporte, representam aproximadamente 10% de nossas emissões totais de GHG – das quais 5% são consumo de energia. Estabelecemos para 2020, a meta de reduzir essas emissões em até 20%. Todos os nossos mercados de atuação desenvolveram planos de ação para abordar a eficiência energética e a energia renovável adquirida em nossas lojas, escritórios e centros de distribuições, sejam eles novos ou existentes. Em 2016, aumentamos a nossa eficiência em carbono no varejo em até 9,6% e reduzimos nossa pegada absoluta de carbono em até 2,2% em comparação com o nosso ano base de 2012. Também compramos 30% de nossa energia de fontes renováveis.

Consumo de energia absoluta e eficiência energética das lojas, escritórios e centros de distribuição

Emissões absolutas de CO2 das lojas, escritórios e centros de distribuição

Uso pelo consumidor 

A utilização e descarte de roupas pelos nossos clientes representa 20% do total de nossa pegada de carbono. Contudo, devido à alta variabilidade de usos e cuidado que o consumidor tem com suas peças de roupas no mundo todo, esse valor é atualmente somente uma estimativa. Ainda estamos tentando entender as principais alavancas e métodos com os quais a C&A e as demais marcas de roupa podem contribuir para reduções na utilização do consumidor em função de menos lavagem ou tingimento.

Próximos Passos

Em 2017 e nos anos que se seguem, focaremos a redução de emissões de gases de efeito estufa nas áreas com os maiores impactos. Comprar algodão mais sustentável e outras matérias-primas mais sustentáveis continuará a ser o nosso principal foco. O trabalho com a PaCT, a Better Mills Initiative (BMI) e o rápido escalonamento de nosso programa de Gestão de Substâncias Químicas Sustentáveis reduzirá ainda mais os nossos impactos sobre a mudança climática.

Leia mais sobre PaCT e a BMI em nossa seção sobre água 

C&A logo

You have arrived at the English language version of this site.