Preferência por fibras de celulose artificiais Protegendo as florestas ameaçadas

A viscose (também conhecida como rayon), o modal e o liocel são obtidos da celulose feita da polpa dissolvida de árvores. Eles representam 8% dos materiais utilizados na C&A durante 2018.

Menos de 20% das florestas nativas do mundo permanecem em extensões de terra grandes o bastante para manter a diversidade biológica [FONTE: Canopy]. Temos a responsabilidade de proteger o que restou e precisamos fazer isso rapidamente – no ritmo atual, 55% da Floresta Amazônica pode desaparecer até 2030.

Estamos trabalhando com a CanopyStyle Initiative para rastrear as florestas nativas e ameaçadas de extinção no mundo, juntamente com outros 170 parceiros de marca. Aderimos à iniciativa em 2015 e publicamos nossa política de Florestas e Tecido (Forest & Fabric) no mesmo ano.

Nosso compromisso global significa que avaliamos nossa compra de fibras de celulose e eliminamos a compra de tecidos feitos com celulose de florestas nativas e ameaçadas de extinção, e outras fontes controversas.

Isso inclui:

  • Demonstrar preferência por fornecedores que trabalham para preservar florestas ameaçadas ou que utilizam métodos certificados pelo Forest Stewardship Council (FSC). 
  • Treinar e envolver fornecedores na CanopyStyle Initiative, incentivando-os a conduzirem auditorias de verificação e a compartilharem publicamente seus resultados.

Práticas de gestão ambiental responsável na produção de celulose

O fornecimento de matérias-primas é apenas um dos muitos desafios na produção de fibras de celulose artificiais. As práticas de produção também são importantes. Em 2018, a Changing Markets Foundation criou um plano de ação para fabricação responsável de fibras viscose e modal, delineando as etapas necessárias para enfrentar esses desafios.  

Temos o compromisso de trabalhar com a indústria e com os produtores para melhorar as práticas químicas e ambientais na produção de fibras de celulose, utilizando as melhores práticas identificadas no plano de ação. Além disso, temos o compromisso de ajudar os fornecedores a superar os desafios atuais. Isso inclui trabalhar com a ZDHC no desenvolvimento de seus padrões e protocolos para a indústria de viscose, colaborar com marcas que têm ideias semelhantes e trabalhar diretamente com fornecedores em planos de melhoria contínua. As áreas de foco delineadas no plano de ação incluem conformidade regulatória, direitos humanos, matérias-primas de recursos gerenciados de forma responsável sob nosso compromisso Canopy, biodiversidade, minimização de resíduos, redução de emissões de gases de efeito estufa, minimização de impactos hídricos, prevenção da poluição da água e outras considerações.

Nosso desempenho em 2018

Em 2017, todos os fornecedores da C&A Europa e da C&A China assinaram um contrato para comprar viscose de apenas dois fornecedores - Birla e Lenzing - na produção de vestuário para a C&A. Ambas as empresas são fornecedores terceirizados de celulose e sua verificação confirmou seu ‘baixo risco’ em termos de fibras controversas. Essa verificação nos garante que eles têm as práticas corretas implantadas para impedir que produtos provenientes de florestas nativas ou ameaçadas entrem em sua rede de fornecimento.

Desde 2018, 100% dos produtos com fibras de celulose artificiais para a C&A Europa e China foram considerados de baixo risco.

Somos uma das únicas grandes marcas a tomar essa medida significativa, a fim de enviar um sinal claro ao mercado de que levamos a sério a proteção das florestas do mundo. Como a C&A Europa representa a maior parte da viscose usada dentro da empresa, nosso novo contrato faz uma diferença real.

A C&A Brasil implementou nossa política de Florestas e Tecido em sua rede de fornecimento doméstica, com 20 fornecedores responsáveis por aproximadamente 60% do volume doméstico de fibra de celulose artificial. Em 2018, aumentamos a aquisição de materiais de celulose de produtores que foram considerados de baixo risco para fibra controversa. Em 2019, planejamos desenvolver ainda mais esta abordagem em nossa rede de fornecimento brasileira. A C&A México começou a avaliar sua rede de fornecimento como um primeiro passo, trabalho que continuará em 2019.

Ajudando a mudar o mercado                                             

A CanopyStyle Initiative tem como objetivo transformar todo o mercado de fibra de celulose artificial e eliminar a compra de tecidos feitos de celulose de florestas nativas e ameaçadas de extinção e outras fontes controversas. Para isso, os produtores devem passar pela auditoria de verificação da CanopyStyle e publicar seus resultados.

Até o momento, a CanopyStyle confirmou, por meio de auditorias, que 28% da produção global de fibra de celulose artificial apresenta baixo risco de aquisição a partir de florestas nativas e ameaçadas de extinção. Outros quatro produtores, representando 30% da produção global, concluíram e publicaram sua auditoria CanopyStyle, mas ainda precisam implementar melhorias em sua rede de fornecimento de madeira para serem considerados de baixo risco. A Canopy também lançou a ferramenta ForestMapper no final de 2018, que nos permitirá visualizar onde estão localizadas as  florestas nativas e ameaçadas e tomar decisões mais informadas ao comprar tecidos de viscose. Juntamente com mais de 100 outras empresas em vários setores, estamos comprometidos a usar a ForestMapper para reduzir o risco de obtenção de produtos oriundos das florestas nativas e ameaçadas do mundo.

Redução do carbono por meio de viscose mais sustentável

Estimamos que nossa aquisição de viscose mais sustentável em 2018 evitou 62.054 toneladas de emissões de CO2, uma redução de 47% em comparação à viscose convencional.

Leia mais sobre como reduzimos nossas emissões de CO2

 

Próximos passos

Implementar o nosso compromisso global

Globalmente, continuaremos a trabalhar com fornecedores para eliminar a obtenção de tecidos feitos a partir de fontes controversas e treiná-los na CanopyStyle Initiative. Também trabalharemos com eles para adotar as práticas no plano de ação da Changing Markets Foundation para uma produção mais limpa de viscose e continuaremos trabalhando com a ZDHC em padrões para avaliar o desempenho, o que ajudará a motivar melhorias adicionais na produção de fibras.