Mulheres que Inspiram Compartilhando histórias de mulheres que nos inspiram

As mulheres são a força motriz por trás da indústria de vestuário e da nossa marca. Assim como nossos clientes e funcionários são, na maioria, mulheres, também as mulheres constituem a maioria das pessoas que fazem nossas roupas. No entanto, em todo o mundo, as mulheres têm menos acesso à educação, ganham salários mais baixos e estão mais sujeitas à violência. Não precisa ser assim. Quando as mulheres têm estudo, são saudáveis e economicamente empoderadas, as famílias e as comunidades prosperam. Por duas semanas em 2016, nossos colegas nas lojas e escritórios da C&A e na C&A Foundation celebraram as mulheres que tiveram uma influência importante em suas vidas.

newborn collection

 

Por que a campanha Mulheres que Inspiram é tão importante

  • A indústria de vestuário emprega cerca de 75 milhões de pessoas no mundo todo. Aproximadamente 80% são mulheres, incluindo mais de 70% na China, 85% em Bangladesh e 90% no Camboja.
  • Dos 21 milhões de pessoas em situação de trabalho forçado e escravo em todo o mundo em todas as indústrias (não apenas na do vestuário), 11,4 milhões são mulheres e meninas. [Fonte: OIT: Relatório Global sobre Trabalho Forçado, 2012]
  • Para cada dólar recebido por homens, as mulheres só recebem 77 centavos de dólar por trabalho de igual valor - levando a diferença salarial global de gênero a 23% [Fonte: SDGs in action/Project Everyone]. 
  • As mulheres fazem 2,5 vezes mais trabalho não remunerado, bem como trabalho doméstico e de cuidados, do que os homens. 

“No Brasil, temos esse estereótipo de que lugar de mulher é na cozinha, e que ficam em casa e cuidam dos filhos. Não correm atrás de seus sonhos. Quando minha mãe perdeu meu pai, não podíamos sustentar nossa casa e minha mãe começou a trabalhar como caixa de banco. Ela trabalhou mais e melhor do que qualquer um, mas ainda demorou muito mais tempo do que um homem, para que ela se tornasse gerente”

Valter Teixera, C&A Brasil

Nosso desempenho em 2016

A C&A está empenhada em melhorar a situação das mulheres em todo o mundo - em nossa própria empresa, em nossa rede de fornecimento e em comunidades ao redor do mundo. No ano passado, 23.600 funcionários participaram e arrecadaram mais de € 1 milhão para 53 instituições e organizações sociais. Este ano, aproveitamos o sucesso da nossa primeira campanha Mulheres que Inspiram e registramos:

  • Mais de € 398 mil arrecadados para 15 instituições e organizações sociais. 
  • Registramos uma taxa de participação total de 78% entre os funcionários da C&A nos países participantes do evento (15.835 funcionários), um aumento em relação à taxa de 52% nos mesmos países em 2015.

 

A campanha Mulheres que Inspiram 2016 teve uma abordagem muito mais localizada no Brasil, México e em nossos outros países fornecedores: Bangladesh, Camboja, China, Hong Kong, Índia, Indonésia, Mianmar, Paquistão, Turquia e Vietnã. Queríamos ver o que aconteceria se permitíssemos que as regiões construíssem uma abordagem única com seus parceiros nos mercados locais.

Em outubro de 2016, os funcionários da C&A no Brasil, México e nos países fornecedores se reuniram ao longo de duas semanas. Compartilhamos histórias de mulheres que nos inspiraram e adotamos 15 instituições e organizações sociais locais, todas focadas em trabalhar para melhorar a vida das mulheres em nossas comunidades locais. As histórias eram pessoais e sinceras, abrangendo questões desde educação e violência doméstica, até desenvolvimento de habilidades para a vida e educação financeira.

Nossas mães moldam nossas vidas

Cerca de 16 mil funcionários da C&A compartilharam suas histórias e três quartos escolheram a mãe como a mulher que lhes ensinou algo importante na vida, seguida da avó e filha. Os funcionários compartilharam suas histórias, homenageando a mulher que os inspirou: cada história e selfie gerou uma doação da C&A Foundation.

Uma nova abordagem

Em 2015, lançamos a campanha Mulheres que Inspiram usando uma abordagem centralizada. Embora tenha funcionado bem e nos orgulhemos dos resultados, o feedback recebido sugeriu que permitir que nossas regiões adaptassem a campanha asseguraria que fosse ainda mais relevante. Este ano, fornecemos uma plataforma de trabalho e cada região criou sua própria estratégia de implementação - e os resultados de 2016 são testemunho do sucesso desse método.

  • “Ser capaz de compartilhar tudo isso com a empresa onde trabalho me faz sentir cada vez mais que eu estou na empresa certa. Esses momentos são muito valiosos”.
  • Fanny Fan trabalha para a C&A Sourcing na China há 15 anos: “Esta campanha me deu a oportunidade de recordar a mulher que me ajudou, me apoiou e me inspirou na vida. Mais importante ainda, a campanha nos dá a oportunidade de ajudar mulheres que precisam de nossa ajuda e apoio, o que é muito significativo”.
  • Vanderson Santos, que trabalha na C&A Brasil, diz que foi difícil escolher sua mulher inspiradora e que a campanha realmente o fez refletir: “Na minha família, existem três mulheres importantes. Minha mãe e minhas duas irmãs mais velhas, que me ensinaram a distinguir o certo do errado e a melhor forma de agir em todos os tipos de situações. No meu dia-a-dia, essas três mulheres oferecem todo o apoio que eu preciso”.
  • Mais de € 398.000 foram arrecadados para 15 instituições e organizações sociais.
  • A taxa de participação total entre os funcionários da C&A nos países participantes do evento (15.835 funcionários) foi de 78%, um aumento em relação à taxa de 52% registrada nos mesmos países em 2015.
  • 87% daqueles que participaram do evento afirmaram que estavam mais felizes em trabalhar na C&A, em comparação com 61% após o evento de 2015.
  • 98% dos participantes afirmaram “Tenho orgulho de trabalhar na C&A”, em comparação com 84% em 2015. (Nota: a declaração em 2015 foi um pouco diferente “Tenho orgulho de dizer que trabalho na C&A para as pessoas que conheço”).
  • 90% dos participantes afirmaram que estão conectados às pessoas em seu local de trabalho - em comparação com 80% em 2015.
  • 99% dos participantes afirmaram que a C&A opera de forma socialmente responsável - em comparação com 92% em 2015.
  • 72% dos participantes afirmaram que falaram sobre o evento Mulheres que Inspiram com amigos e familiares fora do trabalho – em comparação com 68% em 2015.

Próximos passos

Em 2017, continuaremos a celebrar as mulheres, ajudando-as a realizar seu potencial e a contribuição extremamente valiosa que fazem ao nosso negócio e às comunidades. Entre 22 de maio e 2 de junho de 2017, pedimos a todos na C&A Europa e China para dizerem “Obrigado por me ensinar algo importante” a uma mulher que inspira, compartilharem sua história com colegas, postarem uma foto e votarem em uma instituição ou organização social que ajuda as mulheres a viver vidas seguras e bem-sucedidas. Cada ação gerou uma doação da C&A Foundation para a ONG escolhida. Mais informações podem ser encontradas aqui: Mulheres que Inspiram 2017.

Queremos que os colegas da C&A se orgulhem da C&A e desta campanha. Esperamos que ela contribua para o seu bem-estar e para as comunidades em que vivem. Queremos que se inspirem no poder e no potencial das mulheres e que espalhem a mensagem do que é possível quando as mulheres têm oportunidade de ter sucesso.

ESTUDO DE CASO

Mulheres que Inspiram: a história de Valter

“Temos de continuar falando sobre a igualdade das mulheres [no Brasil]. É um problema que não vai se resolver sozinho. Temos que trabalhar ativamente no sentido de respeitar as mulheres e alcançar a igualdade. Fazer parte da campanha Mulheres que Inspiram foi incrível, acredito que por meio de iniciativas como esta, estamos provocando o tipo de mudança que precisamos fazer acontecer”.

A mãe de Valter Teixeira é sua inspiração e sua heroína. Depois que seu pai morreu, ela conseguiu um emprego em um banco e trabalhou muito para sustentar sua jovem família, conseguindo várias promoções apesar dos contratempos enfrentados por ser mulher. Ele espera que, ao compartilhar sua história, e para outras mulheres como ela, possamos iniciar as conversas que trarão igualdade.

As questões relativas à igualdade de gênero são abundantes no Brasil. Teixeira explica:

“Existe um estereótipo aqui no Brasil que diz que lugar de mulher é na cozinha. Ouço muito as pessoas dizerem: “você tem filhos, então deve ficar em casa e cuidar deles”. As mulheres não devem buscar seus sonhos, elas devem cuidar da família. Minha mãe costumava dizer que, mesmo quando as mulheres estão descansando, continuam carregando pedras.”

Para Teixeira, essa atitude não é aceitável. Os problemas que sua mãe enfrentou, desde perder o marido até se tornar caixa de banco e ser promovida de forma muito mais lenta do que qualquer um dos homens - apesar de superá-los em competência - realmente ilustram o quanto ela se sacrificou e como ela é forte. Ter de conseguir um emprego depois da morte do marido foi preocupante e levou tempo. No entanto, como diz Teixeira:

“Ela foi uma inspiração para muitas outras gerentes. As mulheres estavam felizes, pois tinham uma mulher forte na retaguarda que as ajudaria a falar. Todos precisam de apoio, especialmente quando estão lutando contra preconceitos”.

Motivado a promover uma mudança, Teixeira participou da campanha Mulheres que Inspiram da C&A, primeiro em 2015, e novamente em 2016, quando fez o emocionante vídeo.

O processo de contar a história de sua mãe teve um efeito mais amplo do que ele poderia ter imaginado:

“Foi fantástico. Eu estava chorando, o câmera e o roteirista estavam chorando. Percebi o tamanho do problema [da discriminação contra as mulheres]”.

No entanto, não só as pessoas que estavam imediatamente próximas a ele tiveram uma reação. Funcionários de todo o Brasil começaram a entrar em contato para dizer que o admiravam e queriam seguir seus passos participando da campanha Mulheres que Inspiram no ano seguinte.

“Foi maravilhoso para mim ver que minha história mudou a mente das pessoas e as levou a uma reflexão. Minha mãe adorou e isso nos aproximou ainda mais. Ela é uma mulher incrível e meu modelo. Eu criei minha filha exatamente como minha mãe me criou. Minhas conquistas são conquistas dela”.

No entanto, a igualdade de gênero ainda está muito distante em muitos países. Incluindo o Brasil. Mas pessoas como Teixeira, que veem que todas as pequenas vitórias se transformam em uma conquista maior, estão promovendo a mudança. E ele conclui:

 

“A campanha Mulheres que Inspiram planta a semente que ajuda a inspirar mulheres e homens a desafiar essas questões. Então eles criam seus filhos de forma diferente e a cultura se desenvolve. Pouco a pouco e ano a ano, podemos mostrar que todos nós merecemos o mesmo respeito. Espero que ao contar minha história eu tenha ajudado outras pessoas e um dia o mundo mudará”.

C&A logo

You have arrived at the English language version of this site.